Aventura > Travessia Boracéia–Juquehy

Quando?
25/abril/2009
Onde?
Praias do litoral de São Sebastião, SP

Abril foi um mês recheado de trilhas.
No início do mês fizemos a de Tapiraí (nesse post aqui) e no fim do mês fomos com o grupo Vamos Lá! fazer uma travessia pelas praias de São Sebastião, em cenários amplos e explendorosos de praias, mar e mata.
A caminhada iniciava-se em Boracéia e e terminava em Juquehy.

O dia prometia ser de sol e aproveitamos cada quilômetro andado.
Logo cedo embarcamos em um ônibus grande e lotado a caminho da Rodovia Mogi-Bertioga (SP-98), descendo para o litoral paulista em meio à neblina que já se abria para um maravilhoso sol.
No ônibus foi aquela costumeira e gostosa bagunça.
Quando o ônibus estacionou em uma ruazinha de terra da área urbana de São Sebastião e desembarcamos, foi só alegria!! Nos alongamos, passamos protetor solar e seguimos nossos guias até a primeira praia, Boracéia, onde formamos um grande círculo para as apresentações e alongamentos extras. Foi um belo e divertido aquecimento para a caminhada de 9 km que enfrentaríamos debaixo de sol e na areia fofa das praias.
Nossos guias foram alguns monitores do Parque Estadual da Serra do Mar, Núcleo São Sebastião, e um morador local, extremo conhecedor dos caminhos da região.

Estradinha de acesso para a Praia da Boracéia e a própria praia.

Da Praia da Boracéia para a mata.

Iniciamos cruzando em direção ao norte a longa e plana Praia de Boracéia, com seus 4,7 km, águas calmas, areias douradas e tão pouca gente (acho que porque era cedo). A praia ainda é cuidada por moradores e associações locais, que visam o turismo sustentável.
No fim da praia atravessamos um riacho cor de coca-cola (devido à vegetação) e nos embrenhamos por uma trilha no meio da mata atlântica, costeando o mar.
Dessa trilha, descemos na Praia Brava da Boracéia, uma pequena e isolada faixa de areia, com um mar muito bravio e algumas pequenas ilhotas. Aí aproveitamos pra curtir o visú do lugar e tomar nosso lanchinho por uma meia hora.

Vista a partir da trilha, obstáculos no caminho e a chegada na Praia Brava da Boracéia.

Cruzando essa praia, entramos novamente na mata, passando por um “samambaial” e voltamos à parte civilizada da Boracéia, seguindo por ruas de terra até alcançar a Praia da Juréia, uma bela praia cercada pela mata atlântica, com alguns quiosques, restaurantes e pousadas. Também é uma praia onde a preocupação com o meio ambiente se torna visível… passamos inclusive por várias faixas de associação de moradores que instruem os turistas a cuidar do lugar, manter ele limpo, etc.
No canto norte da praia (nossa rota), um largo rio de águas escuras como coca-cola convida para um refrescante banho na água doce. Aproveitamos para dar vários mergulhos, intercalando a calmaria das águas escuras (e limpas) com o mar mais bravo.
Daí continuamos nossa pernada até a Praia do Engenho, pequena e quase particular com seus clubes, pousadas e mansões. Atravessamos mais essa praia, já com o céu um pouco encoberto e molhados de tanto mergulhar no mar e nos rios.

Praia da Juréia, rio de coca-cola e a Praia do Engenho.

Pegamos uma pequena estradinha de terra, passamos por vários condomínios de mansões e gente endinheirada e chegamos na Praia da Barra do Una.
(Falando assim parece que foi rápido, né?! Mas foi uma beeeeela pernada. Em todos os sentidos.)

A Barra do Una é uma praia imensa, bem urbanizada, mas ao mesmo tempo bem conservada. Ali se une a beleza das praias e do mar com um certo ar de montanha.
O Rio Una desce a serra e deságua no mar perto do canto norte da praia, onde é transponível por uma ponte em que passam carros e pedestres. Várias marinas avizinham-se ao longo desse rio e desfilam por lá desde os barquinhos singelos de pescadores até as lanchas invocadas com som, bar, cozinha e o que mais houver.
Dessa praia saem os passeios de barco para as ilhas da região: Montão de Trigo, Couves, Gatos, As Ilhas, Alcatrazes, etc.
Também é possível subir o rio com botes e caiaques, desembarcando para trilhas no meio da mata, cachoeiras e ribeirões.
Mas não tínhamos mesmo muito tempo para os outros passeios, tínhamos que continuar nossa pernada atravessando a praia e seguindo morro acima no canto norte, para alcançar nossa derradeira parada: a Praia de Juquehy.

Praia da Barra do Una e Praia de Juquehy ao pôr-do-sol.

 Morro acima, foi difícil de qualquer santo ajudar… mas a vista que tivemos lá de cima valeu todo o esforço. Olhávamos pra trás e a Praia da Barra do Uma nos mostrava seus desenhos fantásticos. Para a frente, uma baía larga, varrida por ondas branquinhas, cercada por imponentes construções e pela mata exuberante e guardada pela imensidão de Ilhabela (isso mesmo, A Ilhabela) nos recebia: a Praia de Juquehy.
Descemos o morro do outro lado como se não tivéssemos andado já 8 km entre areias, mata e estradas de terra.
A visão deslumbrante da praia, da baía e das ilhas enchia nossos olhos.
De lá, foi mais uma pernada atravessando os km de areia da Praia de Juquehy até chegar ao ponto onde o ônibus nos esperava, onde pudemos enfim trocar as roupas molhadas e fazer um beeeelo “almojanta” no restaurante Pascoal.
Isso pra fechar o dia com chave de ouro e voltarmos realizados para São Paulo.

Prometi a mim mesma que um dia volto pra aproveitar apropriadamente esses lugares.
Porque são lugares para se revisitar a vida toda…

Veja as fotos da trilha no meu álbum virtual.

— Infos —

É sempre bom agendar passeios com guias experientes e conhecedores dos caminhos da região. Isso evita desencontros e vários outros problemas, como autorizações, seguro, etc.
Parque Estadual da Serra do Mar – Núcleo São Sebastião
http://www.fflorestal.sp.gov.br/hotsites/hotsite/index.php?hotsite=27c2fa487b4a6363b6424e8ae6227dce
São Sebastião
Mais passeios:
http://www.saosebastiao.sp.gov.br/finaltemp/ecoturismo.asp
Mais informações:
http://www.saosebastiaosp.com.br/
http://www.saosebastiao.com.br/

2 Responses to “Aventura > Travessia Boracéia–Juquehy”


  1. 1 Ian Guedes 13/01/2010 às 3:51 pm

    Olá,

    o trecho Barra do Una – Juquehy que vocês fizeram foi pela estradinha ou por alguma tilha?

    Obrigado,

    Ian

    Se der, por favor me responda no meu e-mail – ianguedes@gmail.com

    • 2 Fabi 13/01/2010 às 4:44 pm

      Olá, Ian.
      O trecho que fizemos de Barra do Una a Juquehy foi pela estrada mesmo.
      Já estávamos cansados nessa altura e a tarde caía.
      Mas um dia planejo voltar lá pra ver se há trilha que ligue essas duas praias maravilhosas.
      Obrigada pela visita ao meu blog.
      abs,
      Fabiana


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Aquariana de fevereiro de 1975. Ilustradora e designer gráfica. Fotógrafa amadora nas horas vagas. Amante dos animaizinhos e do turismo ecológico. Freqüentadora de teatros, cinemas, baladas, etc, etc. Como diria minha irmã, "uma quase especialista em um zilhão de coisas". O espírito inquieto não combina com a inércia. O mote é conhecer lugares novos, provar novos sabores, falar com gente interessante, ter novas experiências e compartilhar aqui. Conhecimento é o exercício permanente de provar novas coisas.

Páginas

Arquivos

Atualizações do Twitter

Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

Junte-se a 4 outros seguidores


%d bloggers like this: